Videogames podem melhorar a saúde da garotada


Quem nunca escutou que o sedentarismo das crianças é culpa dos games? Ou que antigamente, com brincadeiras em ruas, praias e parques, a criançada eram mais magras de tanto que se exercitavam? Mas um recente estudo pode colocar fim nessa argumentação. E também na obesidade e sedentarismo tão comum em crianças.

Um estudo publicado  no periódico The Journal of Pediatrics, no entanto, aponta um caminho divertido para driblar o problema em crianças. Segundo a pesquisa, videogames com sensores de movimento podem ser uma forma de exercício alternativa para combater o sedentarismo. Esses videogames são aqueles em que o jogador controla o jogo com os movimentos do corpo, como o Nintendo Wii e o  Xbox-Kinect.

O estudo envolveu 15 crianças de 9 a  11 anos de idade, que realizaram 15 minutos de atividade intensa em um desses videogames  depois de baixa intensidade e, por fim, fizeram exercícios em uma esteira ergométrica. Os pesquisadores avaliaram, em cada tipo de atividade, qual foi o gasto energético e a resposta vascular — por meio da vasodilatação fluxo-mediada, VFM, medida utilizada para avaliar a saúde vascular em crianças. Os resultados mostraram que o jogo de alta intensidade provocou um gasto de energia equivalente a exercícios físicos de intensidade moderada. Já o jogo de baixa intensidade, um gasto energético semelhante ao de uma atividade física de baixa intensidade. O jogo de alta intensidade, por sua vez, também provocou uma redução da VFM, o que sugere que ele pode ser benéfico para a saúde vascular das crianças.

“Os jogos ativos de alta intensidade podem ser uma boa forma de atividade para que as crianças obtenham benefícios para a saúde em longo prazo”, afirma Louise Naylor, uma das pesquisadoras do estudo. Para os autores, os jogos ativos de videogame devem ser considerados uma forma de incentivar as crianças a serem mais ativas.

 

Fonte: The Journal of Pediatrics

Compartilhe: