Um livro multimídia escrito em DNA

Um livro de 53 mil palavras e 11 imagens. Mais um aplicativo em javascript. Foi o que cientistas da Harvard University conseguiram colocar dentro de moléculas de DNA. Isso mesmo, você não leu errado. As moléculas que armazenam o código genético – todas as informações para a construção e manutenção de um ser vivo – agora podem ser usadas como pendrive. Os pares de nucleotídeos que formam o código da vida ( as famosas letrinhas AGTC das aulas de bilogia e do título do filme de ficção científica GATTACA ) também podem armazenar informações codificadas em 1 e 0, como as que estão no HD do seu computador.

O processo de codificação de dados em moléculas de DNA desenvolvido pelos cientistas de Harvard é de alta fidelidade. Tanto que a proporção de erros de tradução nos 5,7 megabytes convertidos pelos pesquisadores foi considerada pequena. Embora o custo desse tipo de codificação ainda seja alto, as vantagens do novo método de armazenamento de memória são promissoras: o DNA é extremamente abundante na natureza e dura mais que a maioria dos materiais quando exposto a condições adversas de temperatura e pressão. Sem contar que a taxa de compressão de informação é maior até que as mais modernas memórias atuais do tipo flash, o que possibilita a criação da maior densidade de informação por mm2 já desenvolvida pelo homem.

Compartilhe a notícia nos links abaixo.

Compartilhe: