Tratamento para reposição hormonal ajuda a amenizar sintomas da menopausa

A menopausa é um processo natural na vida de toda mulher, no entanto, algumas pessoas sentem vários desconfortos nessa fase. A menopausa representa o término da menstruação e da fertilidade da mulher e normalmente acontece entre quarenta e cinquenta anos.

Os sintomas podem começar alguns anos antes da menopausa, conhecido como período perimenopausal. A menopausa é confirmada quando a mulher fica acima de doze meses sem menstruar. Entre os principais sinais e sintomas da menopausa estão:

  • Irregularidade menstrual;
  • Atrofia vaginal;
  • Fogachos (ondas de calor);
  • Insônia;
  • Alterações de humor;
  • Ganho de peso e diminuição do metabolismo;
  • Queda de cabelo e pele seca;
  • Alteração da conformação das mamas.

Tratamentos possíveis

Normalmente os sintomas da menopausa costumam ser bem definidos, mas caso tenha dúvidas sobre o que está acontecendo, não se acanhe em procurar uma clínica de ginecologia para esclarecer suas dúvidas.
Um dos principais tratamentos para ajudar a mulher a passar por este período e amenizar os sintomas é o tratamento para reposição hormonal, que pode ser de dois tipos, sistêmica ou tópica, dependendo do que o seu médico considerar mais indicado para o seu caso.

Terapia hormonal sistêmica

O médico irá considerar fatores como o histórico familiar antes de indicar o melhor tratamento. Normalmente a reposição hormonal é o mais efetivo para aliviar os sintomas da menopausa, usando comoprincipal componente o estrogênio. Caso você tenha o útero é possível que seja necessário tomar progesterona em conjunto. A reposição hormonal é indicada para melhorar sintomas como atrofia urogenital, fogachos e perda de massa óssea.

Terapia hormonal tópica

Este tipo de tratamento de reposição hormonal tem como composto principal o estrogênio usado para aliviar sintomas de atrofia urogenital. Este tratamento pode ser realizado por creme vaginal e libera no organismo uma pequena quantidade de hormônio que será absorvido pelo tecido vaginal e diminuir o desconforto durante relações sexuais, por exemplo.
Caso você não possa utilizar estrogênio para o tratamento, consulte seu médico para avaliar outros tratamentos possíveis.

Post Colaborativo por Bed Med

Compartilhe: