Se engravidar não beba. Nada.

É sabido que as mulheres no período da gravidez devem redobrar o cuidado com a saúde. Uma alimentação balanceada e a abstenção do cigarro, para fumantes,  são essenciais para um bom desenvolvimento do feto. De acordo com um novo estudo, uma outra abstenção, a de álcool, também é primordial para um boa evolução cognitiva do feto.
Utlizando-de de uma técnica chamada randomização Mendeliana, cientistas da universidade de Bristol rastrearam 4 variantes genéticas ligadas ao metabolismo do álcool em mais de  4 mil mães e seus filhos, desde os anos 90. As analises demonstraram que filhos de mães que haviam bebido moderadamente, até 6 doses de bebidas alcoólicas por semana, apresentavam, aos 8 anos de idade, um QI menor do que os filhos das mães abstêmias. A cada variação genética causada por consumo do álcool a  média do Quociente de Inteligência diminuía em 2 pontos.
A pesquisa vai contra a ideia de que o consumo moderado de álcool na gravidez poderia fazer bem, ou, ao menos, não prejudicaria o bebê.Não foram analisadas mulheres grávidas que bebiam pesadamente.

Fonte: PsychCentral

Foto por ChepeNicoli:

http://migre.me/bYBpo

Encontre um Obstetra:

http://www.boaconsulta.com/profissionais/ginecologista-e-obstetra

 

Compartilhe esta notícia com os links abaixo:

Compartilhe: