Saiba mais sobre o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) em crianças

 

A hiperatividade, denominada na medicina de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), pode afetar crianças, adolescentes e até mesmo alguns adultos. Os sintomas variam de brandos a graves e podem incluir problemas de linguagem, memória e habilidades motoras. Embora a criança hiperativa tenha muitas vezes uma inteligência normal ou acima da média, o estado é caracterizado por problemas de aprendizado e comportamento. Os professores e pais da criança hiperativa devem saber lidar com a falta de atenção, impulsividade, instabilidade emocional e hiperativa incontrolável da criança.

A hiperatividade, usualmente aparece aos 2 ou 3 anos de idade ou até a primeira série. Os principais sintomas são:

Problemas de concentração e falta de atenção. As crianças e adolescentes com TDAH mudam de atividade muito rapidamente e, muitas vezes, não terminam o que começaram. Eles também se distraem muito facilmente por barulhos ou outras coisas ao seu redor.

– Impulsividade. As crianças com esse sintoma frequentemente reagem rapidamente sem pensar nos resultados. Eles também são impacientes e tendem a interromper outras conversas e começam tarefas sem nenhum planejamento.

– Hiperatividade (movimento excessivo). As crianças hiperativas são excessivamente inquietas. Quase nunca se sentam, e quando sentam, elas usualmente continuam se mexendo ou jogando as coisas.

Um especialista em comportamento infantil pode ajudar a distinguir entre a criança normalmente ativa e enérgica e a criança realmente hiperativa. As crianças até mesmo as menores podem correr, brincar e se agitar durante horas sem cochilar, dormir ou demonstrar qualquer cansaço. Para garantir que a criança realmente hiperativa seja tratada adequadamente – e evitar tratar erroneamente uma criança normal – é importante que ela receba um diagnóstico preciso.

Embora a hiperatividade não tenha cura, ela pode ser controlada com tratamento psicoterápico, prática de atividades físicas e, nos casos mais graves, medicamentos estimulantes ou antidepressivos. As crianças com TDAH aprendem a lidar com situações altamente estimulantes, que as distraem e superexcitam. Elas devem aprender a estudar em lugares silenciosos e fazer pausas frequentes, visto que necessitam de mais estrutura e rotina diária que a maioria das pessoas.  Programas de comportamento e de exercícios físicos simples com recompensas diárias podem ser bons para ensinar a prestar atenção por mais tempo e a se manterem assentadas.

A maioria dos medicamentos utilizados para tratar o TDAH são estimulantes e atuam sobre áreas de autocontrole do cérebro. Esses medicamentos não deprimem as crianças, mas aumentam a auto regulação. Cerca de 70% das crianças com o distúrbio apresentam uma melhora com o uso desses medicamentos. Os efeitos colaterais mais comuns são a perda de apetite e problemas para dormir. A dosagem de cada criança será ajustada gradualmente, para reduzir os efeitos colaterais. Algumas vezes, os medicamentos são usados apenas nos dias em que a criança vai para a escola.

Fonte: www.saudeinformacoes.com.br/

Imagem: http://criancahiperativa.blogspot.com.br/

 

Se você procura um bom pediatra ou psicólogo, acesse www.go2doc.com.br e encontre o profissional ideal para suas necessidades!

Compartilhe: