Prevenir também é a melhor maneira de economizar

Diariamente escutamos, lemos reportagens explicando o quanto é importante a prevenção contra diversas doenças. Quem nunca disse, ou escutou, “me preocupo com isso quando a doença chegar”? Ou “já que um dia todos nós partiremos dessa para melhor, vou aproveitar muito”? Nem é dada mais tanta importância à prevenção, acha-se que as descobertas médicas e a tecnologia irão cuidar de tudo. Mas não é bem assim!

Aqui nós sempre falamos sobre prevenção, pois é como diz Pedro Bial: “saúde e paz, o resto a gente corre atrás!”. Com base nisso, reunimos informações para mostrar a você porque prevenir é melhor – e muito mais econômico – que remediar.

Doenças do tabagismo

O Brasil gastou no ano passado R$ 21 bilhões no tratamento de pacientes com doenças relacionadas ao cigarro, revela estudo inédito financiado pela Aliança de Controle do Tabagismo (ACT).

Um levantamento realizado por pesquisadores do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), responsáveis pela parte brasileira do estudo, mostrou que o custo do tratamento para abandonar o vício sairia por R$428 por pessoa. Um enfarte custa 18 vezes mais caro, saindo, em média, R$8 mil para o Sistema Único de Saúde (SUS). Cânceres de pulmão, esôfago ou laringe tem custo médio de R$30 mil, se  forem feitos pelo sistema público – se optar em não utilizá-lo, os valores podem triplicar.

Uma doença camuflada de sintoma

O ronco de uma pessoa pode ser bem incômodo, não é mesmo? Mas ele pode ser muito mais que isso: pode ser o sintoma de doenças graves que, se não tratadas, podem causar danos sérios à saúde, como um aumento no risco de ataques cardíacos e derrames. Um estudo feito por médicos do Instituto do Coração (Incor) acaba de demonstrar que o controle de uma doença simples, a apneia, pode produzir uma redução significativa do risco oferecido por essas doenças cardiovasculares.

O grupo de pesquisadores do Incor avaliou o impacto super positivo do tratamento, que consiste no uso de um aparelho chamado de CPAP (sigla inglesa para Continuous Positive Airway Pressure, ou Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas), na reversão dos impactos causados pela apneia obstrutiva do sono. O aparelho custa, em média, R$3.000.

Vírus perigoso

Outa doença que tem sido bastante presente é a hepatite C – ela assola cerca de 3,5 milhões de brasileiros.

Atualmente o tratamento é realizado com a combinação de 2 medicamentos – o interferon peguilado e a ribavirina – durante um período de 6 a 12 meses, variando de acordo com o subtipo de vírus. No total, 75% dos infectados necessitarão de 12 meses de tratamento, ao custo de R$70 mil se feito de modo particular. Se feito pelo SUS, o Governo arca com um custo de R$18.700.

A importância de uma boa alimentação

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Brasília (UnB) analisou os gastos em tratamentos de saúde de 26 doenças relacionadas ao excesso de peso, entre elas diabetes, hipertensão arterial, diversos tipos de câncer e dislipidemias (altas concentrações de gordura no sangue). No pacote de intervenções, há também as cirurgias bariátricas.

De acordo com a pesquisa, baseada em custos de 2011, a maior parte do dinheiro é destinada para o atendimento hospitalar. No período, foram gastos R$ 289 milhões. Quando se leva em conta o avanço da obesidade, do sobrepeso e da obesidade mórbida, os números assustam: o excesso de quilos no corpo registra aumento médio anual de 1,05%; a obesidade, de 0,76%; enquanto a forma mais grave da doença cresce 4,3 vezes mais que a obesidade. Caso essa tendência não seja freada, os gastos com o tratamento de doenças relacionadas ao aumento de peso serão ainda maiores.

Se você acreditava que prevenir era apenas uma questão de saúde, acho que você acabou de mudar de ideia…

Aproveite para agendar um check up e ficar com a saúde – a sua e dos seus bolsos – em dia!

 

Cadastre-se no boaconsulta.com para receber mais dicas de como cuidar da saúde!

Compartilhe: