Oxitocina: o hormônio do amor

Do ponto de vista biológico, quanto mais parceiras sexuais um homem tiver, maiores as chances dele passar seu material genético adiante. O homem é um animal de natureza poligâmica. Essa pode ser uma explicação do porque, muitas vezes, ele trai a sua parceira.

Cientistas de todo o mundo tem então se perguntado o que exatamente faz com que muitos homens resolvam renunciar à sua biologia e escolher passar o resto de sua vida com uma única mulher, casar e constituir família.

Em um estudo, pesquisadores acreditam ter encontrado uma pista na oxitocina, um hormônio liberado durante o sexo e outros gestos íntimos, como o abraçar ou segurar as mãos que tem sido provado fortalecer os laços sociais em outros mamíferos.
Eles descobriram que o hormônio parece aumentar a atração dos homens em relação às sua parceiras.

Durante o experimento, 20 homens que estavam comprometidos a cerca de 28 meses, levaram baforadas de um spray nasal de oxitocina ou de um spray placebo inativo, olharam para fotos de mulheres e avaliaram o nível de atração que sentiam.

No primeiro teste, os homens olharam para fotos de suas parceiras e de mulheres que nunca haviam conhecido.

Já no segundo teste, eles olharam para fotos de suas parceiras ou de mulheres que conheciam mas não tinham um relacionamento próximo, como, por exemplo, alguém viam várias vezes no trabalho.

Em ambos os casos, as fotos das mulheres foram cuidadosamente combinadas de modo que uma não era mais atraente do que a outra.

Os participantes constantemente avaliavam suas parceiras como sendo mais atraentes e excitantes do que as outras mulheres e, na maioria dos casos, a oxitocina impulsionou esse efeito em comparação ao placebo.

Mas o que realmente fascinou os pesquisadores foi o que aconteceu dentro do cérebro dos homens.
Sob a influência da oxitocina, as áreas do cérebro responsáveis pelas sensações de recompensa e prazer se iluminaram quando eles viram as fotos de suas parceiras. Porém, ao verem as fotos das outras mulheres, o efeito era oposto, havendo supressão dos sentimentos de prazer.

Os resultados sugerem que os casais que mantêm um alto nível de intimidade em seus relacionamentos podem manter laços mais fortes.

Compartilhe: