Microfisioterapia, um elo essencial na corrente dos tratamentos

 

A microfisioterapia é uma técnica manual que se insere no contexto dos tratamentos integralistas. Assim, a microfisioterapia se constrói sobre a tríade emoção – informação – fluxo elétrico.

Assim, dentro do contexto das terapias integralista, a microfisioterapia volta sua atenção para as reações do organismo frente às pressões ambientais. Isto quer dizer, as sobrecargas ambientais são recebidas pelo organismo, este por sua vez desencadeia uma série de reações químicas e estímulos elétricos culminando na utilização de mecanismos próprios para manter o meio interno orgânico em atividade normal (homeostase).

Entretanto, quando a variação não é suficientemente reconhecida pelo corpo, ou o organismo não teve energia suficiente para utilizar os seus mecanismos próprios de homeostase, cria-se uma espécie de “rastro” dessa agressão não combatida. Esta memória deixada pela agressão gera alterações no ritmo vital dos tecidos gerando, por conseqüência, sintomas incômodos.

Desta maneira, a microfisioterapia investiga com as mãos a perda de ritmo vital dos tecidos, localizando no corpo do paciente informações de situações ou traumas que foram vividos tanto física como emocionalmente e que organismo não conseguiu eliminar.

A partir daí o terapeuta reinforma o corpo de maneira homeopática e positiva o evento agressor desencadeando de maneira eficaz os dispositivos imunológicos, reavendo o ritmo vital e o restabelecendo a saúde do paciente.

É importante observar que as seqüelas que ficam guardadas na mente são tratadas por psicólogos e psiquiatras, já a microfisioterapia cuida das cicatrizes do corpo.
A sessão acontece em torno de uma hora e na primeira etapa da sessão ocorre uma conversa com o paciente. Em seguida são feitas averiguações na busca de memórias guardadas no corpo para desativá-las. Com toques leves, realizados com a ponta dos dedos, ajudamos o organismo a apagar as cicatrizes internas responsáveis pelas doenças. A técnica é tão apurada que é possível precisar as datas dos acontecimentos que marcaram negativamente a pessoa.

Pacientes com quadro de dor são realmente os que mais recorrem ao método, mas a técnica tem alcançado resultados em mulheres com dificuldades
de engravidar e esportistas que desejam prevenir danos físicos. Vale também lembrar que o intervalo de um mês entre as sessões é necessário para que o corpo absorva os estímulos promovidos pelo toque do microfisioterapeuta e reaja.

 

Sérgio Augusto Moreira Bastos Júnior, fisioterapeuta, CREFITO 111.132 F, especialista em Microfisioterapia pela Escola de Terapia Manual e Postural e Association Centre de Diffusion de la Microkinesitherapie (França), curso de formação internacional em equilíbrio Neuro-Muscular. Pós-graduação em terapia manual e postural.

Compartilhe: