Estresse dobra o risco de derrame

Perdeu alguém muito próximo, passou por um divórcio ou foi demitido? Então seus riscos de sofrer um derrame ou AVC (acidente vascular cerebral) são maiores. Segundo estudo espanhol publicado na revista “Neurology, Neurosurgery and Psychiatry”, situações como essas causam estresse crônico e, consequentemente, aumentam em quatro vezes o risco da doença.

A pesquisa envolveu 150 pessoas que sofreram AVC e mais 300 pessoas sem histórico de acidente vascular, todos com idade média de 54 anos. A escolha da faixa etária dos participantes foi ligeiramente abaixo da média de pacientes de AVC para diminuir o efeito da presença de fatores de risco nos resultados do estudo, como pressão alta, colesterol alto, obesidade, diabetes, doenças arteriais, problemas cardíaco e cigarro. Na pesquisa, os participantes responderam um questionário e foram acompanhados pelos cientistas no decorrer de um ano. A análise dos dados coletados pelos cientistas demonstrou que as pessoas que passaram por situações de estresse grave durante o ano sofreram mais AVCs que o grupo contole.

Outro resultado do estudo não é nada bom para as pessoas com “pavio curto”. Quem está sempre irritado, perde o controle com facilidade e tende a ser agressivo tem duas vezes mais chance de sofrer um AVC. A mesma coisa acontece com quem é ex-fumante. Mas tente não se estressar muito com isso. Senão…

Compartilhe a notícia  nos botões abaixo:

Compartilhe: