Dez passos simples para ajudar a desestressar

Não são poucas as notícias angustiantes esses dias: desastres naturais, problemas econômicos, agitação política. Some a isso os outros estresses em nossas vidas pessoais, como demissões, doenças, problemas financeiros, confusões e engarrafamentos e isso nos mostra claramente que as situações estressantes são constantes e inevitáveis.

Tão sérios quanto os fatores geradores de estresse são os efeitos adversos que o estresse pode gerar na sua saúde emocional e física. Muitos estudos de credibilidade relacionam o estresse às doenças cardíacas e ao derrame – a primeira e terceira causas mais frequentes de morte, respectivamente, nos Estados Unidos. O estresse também está diretamente ligado a uma série de outras doenças como depressão e ansiedade, problemas respiratórios crônicos, acessos de asma, artrite reumatoide e problemas gastrointestinais.

O estresse não é de todo o mal. A sua percepção de uma ameaça real ou imaginária pode ativar a resposta ao estresse, que prepara o seu corpo para lutar ou fugir. Esse reflexo rápido ajuda a garantir a sua sobrevivência. Graças à resposta ao estresse, você pode sair rapidamente da frente de um carro em alta velocidade ou fugir de uma casa que está pegando fogo.  No entanto, quando sua resposta ao estresse é acessada repetidamente, o seu corpo experimenta uso e desgaste desnecessários—como a pressão alta— podendo acarretar problemas na sua saúde.

Mesmo que você só tenha alguns minutos para gastar, as sugestões para reduzir o estresse descritas abaixo podem deixar os seus dias mais calmos, se não mais fáceis:

Tire o peso dos 10 geradores mais comuns de estresse

 

Algumas vezes o simples fato de pensar em aderir a um programa de controle de estresse já pode ser estressante. Ao invés de parar no meio de suas metas, comece por baixo e relaxe à medida que for obtendo sucesso. Separe uma semana para focar nas soluções práticas que podem ajudar você a lidar com uma área complicada ou uma fonte de estresse na sua vida. Escolha um problema e veja se essas sugestões funcionam para você.

 

1. Frequentemente atrasado? Aplique princípios de administração de tempo. Observe suas prioridades (certifique-se de incluir tempo para você mesmo) e escolha ou descarte tarefas desnecessárias. Mapeie o seu dia, segmento por segmento, reserve tempo para diferentes atividades, como escrever ou falar ao telefone. Se você for muito otimista em relação ao tempo de viagem, dê-se consistentemente 15 minutos ou mais extras para chegar aos seus destinos.  Você está ansioso em relação ao que vai acontecer depois que você chegar ao trabalho ou em algum evento social, por exemplo? Ou talvez você esteja tentando desempenhar tarefas demais em muito pouco tempo.

2. Você está frequentemente com raiva ou irritado? Considere o peso das distorções cognitivas. Você está aumentando um problema, tirando conclusões precipitadas, ou julgando pela emoção? Tire um momento para parar, respirar, refletir e escolher.

3. Inseguro sobre sua habilidade de fazer algo? Não tente fazer isso sozinho. Se o problema for trabalho, fale com um colega de trabalho ou um chefe. Pergunte a amigo que entenda sobre o assunto ou entre em contato com uma livraria local ou alguma organização que possa lhe dar a informação de que você precisa.  Escreva em um papel outras formas para conseguir as respostas ou adquirir as habilidades de que você precisa. Pegue CDs, livros ou tenha aulas, por exemplo, se você precisa aprender alguma coisa. Isso funciona tão bem quanto quando você está aprendendo técnicas de relaxamento também.

4. Além do limite? Diminua a responsabilidade de pelo menos uma atividade do lar que consome muito tempo contratando ajuda. Se você puder, contrate uma pessoa para arrumar e limpar sua casa, faça compras pela internet, organize um encontro familiar para definir quem pode desempenhar cada tarefa, ou contrate pessoas para organizar a parte externa e o jardim de sua casa. Considere o que é realmente essencial e importante para você e o que pode ficar em segundo plano agora.

5. Sem tempo o suficiente para aliviar o estresse?  Tente pequenas doses de relaxamento. Ou se comprometa com você mesmo a reduzir suas tarefas por apenas uma semana para que você possa evocar as respostas de relaxamento todos os dias.  Diminuir o ritmo para prestar atenção a apenas uma tarefa ou atividade prazerosa por vez é um excelente método para aliviar o estresse.

6. Sentindo-se muito tenso?  Tente uma massagem, um banho quente, mini-relaxamentos, uma varredura no corpo ou uma caminhada para relaxar a mente. Pratique qualquer tipo de exercício –  uma caminhada rápida, uma corrida, subir e descer alguns lances de escada — vão ajudar também. Feito regularmente,  o exercício afasta e diminui as tensões, assim como auxilia as respostas de relaxamento.

 

7. Sentindo-se pessimista frequentemente? Lembre-se do valor de aprender a ser otimista: uma vida mais alegre e, por conseguinte, uma saúde melhor. Alugue filmes engraçados e leia livros agradáveis. Crie uma lista mental de razões de razões para você se sentir agradecido. Se a lista parece muito pequena, considere movimentar sua rede social e adicionar novos objetivos criativos e produtivos e mais lazer à sua vida.

8. Sentindo-se chateado por conflitos com outras pessoas?  Exponha suas necessidades ou angústias diretamente, evitando acusações como “você sempre” ou “você nunca”. Fale “Eu sinto _____ quando você ______” , “Eu gostaria bastante se você pudesse _________”,  _____.”,  “Eu preciso de ajuda para organizar prioridades.  O que deve ser feito primeiro e o que eu posso deixar para depois?”  Se os conflitos são uma fonte significante de estresse para você, considere ter aulas ou fazer um treinamento de assertividade.

 

9. Desgastado  ou exausto? Concentre-se em auto-nutrição.  Separe um tempo para praticar técnicas de relaxamento ou, pelo menos, fazer um pouco de mini-relaxamentos. Cuide do seu corpo comendo bem e de forma saudável e cuide do seu coração procurando outras pessoas.  Separe um tempo para atividades criativas, produtivas e de lazer. Observe as prioridades da sua vida: vale à pena ficar se sentindo dessa forma ou algum outro caminho está aberto para você? Se você quer ajuda, decida que tipo de auxílio seria melhor para você.  Você gostaria que alguma tarefa específica do seu trabalho fosse tirada de sua responsabilidade? Você gostaria de fazer tal atividade em outra data? Você precisa de alguém com algum conhecimento específico para ajudar você?

10. Sentindo-se sozinho?  Converse com outras pessoas.  Mesmo os pequenos contatos – uma conversa rápida na fila do supermercado,  uma pergunta para um colega, uma troca de informações com um vizinho –  pode ajudar a quebrar o gelo. Pode encorajar você, também, para buscar oportunidades de se conectar. Seja um voluntário.  Frequente eventos religiosos ou de seu bairro. Sugira um café com familiares. Ligue para algum amigo ou parente de quem você sente falta. Matricule-se em algum curso de seu interesse.  Se você sente fobia social, baixa autoestima ou depressão , procure ajuda. O mundo é um lugar mais gentil e maravilhoso quando você partilha seus prazeres e obrigações.

Fonte: Harvard Medical School

Imagem: www.bonita.com.br

Procure um acompanhamento médico para receber orientações de outras formas para lidar com o estresse. Acesse www.go2doc.com.br e encontre o profissional que procura!

 

 

 

BOTÃO-CONSULTA2

Compartilhe: