Computadores e celulares modernos são ameaça ao sono

Se você lê este texto à noite, está contrariando a história evolutiva da espécie humana. Durante a maior parte dos 200 mil anos de existência do Homo Sapiens, o corpo humano se acostumou à escuridão noturna. Mas nos dias de hoje basta a noite chegar para sermos inundados pela iluminação artificial de lâmpadas, TVs, telefones celulares e computadores, o que pode causar um verdadeiro estrago no seu ciclo circadiano (o ritmo biológico que controla o horário do sono no corpo).

Mas há um tipo de luz que é especialmente nociva à saúde humana: a azul. Durante o dia, as ondas de luz azul que fazem parte da iluminação natural tem efeitos positivos. Elas estimulam a atenção e o humor. Mas, durante à noite, esse tipo de luz causa danos ao equilíbrio corporal. Em um experimento científico, pesquisadores expuseram pessoas à luz azul durante 6 horas e meia. Ao fim do período, o índice do hormônio melanina no corpo dos participantes caiu mais que o dobro que o de pessoas expostas à luz verde durante o mesmo tempo. Como a melanina está profundamente relacionada ao ciclo circadiano, as pessoas que participaram do experimento sofreram com sono irregular. Embora luzes fluorescentes e LEDs sejam mais eficientes que as incandescentes, eles também geram mais luz azul. O mesmo problema ocorre com as telas de aparelhos eletrônicos com maior eficiência, como os laptops e celulares modernos. Nas noites atuais, tudo está mais azul. Mas isso não é sinônimo de tranquilidade, e sim de preocupação.

Compartilhe a notícia nos links abaixo

BOTÃO-CONSULTA2

Compartilhe: