Como cuidar da sua ‘farmácia’ caseira

Saiba como preservar os medicamentos em casa e prevenir problemas ambientais

Ter uma ‘farmacinha’ com remédios em casa é uma boa maneira de conseguir alívio rápido para problemas cotidianos como uma dor de cabeça ou desconforto estomacal. Mas muitas vezes o que era para ser algo prático se transforma em bagunça – e essa pode ser uma bagunça perigosa.

Muitas pessoas guardam remédios que foram prescritos para problemas pontuais – sem a bula – ou armazenam os medicamentos em condições inadequadas. Uma associação americana determinou que o dia 15 de abril é o ‘dia nacional para checar os remédios’ – mas a data pode ser uma mera desculpa para você seguir as orientações deles.

Guarde todos os medicamentos em um só lugar. Confira se não há cartelas de comprimidos espalhadas pelo banheiro, cozinha, criado-mudo ou geladeira.

Confira as condições. Os medicamentos devem ser armazenados em locais limpos e protegidos a luz, umidade e calor. Ou seja: o armário do banheiro é um péssimo local para guardar os remédios.

Confira a bula e a prescrição. Veja se o que o seu médico receitou é o que você está guardando. Se tiver dúvidas sobre determinado medicamento, procure uma farmácia.

Veja a data de validade. É um conselho óbvio, mas esquecido por muitas pessoas. Jogue fora tudo o que estiver fora do prazo.

Faça o descarte apropriado. Os medicamentos não devem ser descartados no lixo comum – eles podem intoxicar animais e crianças. Algumas farmácias oferecem descarte apropriado, mas se não houver nenhuma perto da sua casa, a recomendação é retirar o medicamento de sua embalagem original, misturá-lo a outros resíduos como a areia de banheiro de gatos, e colocá-lo em um saco lacrado.

Não reaproveite as embalagens. Vidros e plásticos podem conter resíduos do medicamento – e eles podem ser perigosos. As embalagens externas podem ser enviadas para a reciclagem; vidros e outros recipientes devem ser encaminhados à farmácia que faz a coleta dos medicamentos.

Compartilhe: