Aprender uma língua nova aumenta o tamanho do cérebro



Você já estudou tanto que seu cérebro parecia  estar a ponto de explodir? Bom, se era um lingua nova que você aprendia, então saiba que, mesmo de forma imperceptível, seu cérebro podia estar realmente crescendo. Essa foi a conclusão de um grupo de cientistas suecos ao estudar o processo de aquisição linguística.
Os pesquisadores da universidade de Umea puderam observar o fenômeno de forma intensiva, ao acompanhar um grupo de alunos da Academia de Interpretes das Forças Armadas Suecas no processo de estudo intensivo, em geral de apenas 13 meses, em que passam  de leigos a fluente em uma língua. Como comparativo foi acompanhado no mesmo período um grupo que também “rachava” de estudar, mas outras matérias.
Os resultados surpreendentes foram que, após medições por meio de scanners cerebrais, os cientistas perceberam que algumas partes específicas do cérebro dos alunos de línguas haviam crescido, enquanto no outro grupo não houve mudanças significativas.
Áreas bastante diversas do cérebro dos estudantes haviam reagido ao estímulo. Em alunos com maior facilidade para línguas o hipocampo, estrutura profunda, envolvida na movimentação espacial e aprendizado, havia crescido mais. Nos não tão habilidoso, mas que se esforçaram muito, partes do córtex, área do órgão ligada a funções mais refinadas, tinham se desenvolvido consideravelmente.
O estudo reforça a hipótese de que o domínio de uma ou mais línguas para além da nativa reforça e modifica o funcionamento cerebral.  Pesquisas anteriores demonstraram que bílingues demoram mais a desenvolver doeças degenerativas como o Mal de Alzenheimer.

E aí? Resolveu se matricular de vez naquele curso de russo?

Compartilhe: